João Cabeça de Feijão

Teatro de Bonecos – João Cabeça de Feijão – Cia. Articularte

Este espetáculo foi livremente inspirado na narrativa inglesa João e o Pé de Feijão, e a montagem final ficou cenicamente colorida e recheada de sonoridade brasileira, explorando aspectos do folclore nordestino, dialogando com contos e lendas medievais (e imagens inspiradas no artista plástico Hieronymus Bosch).

Conduzida por atores e bonecos que interagem entre si em diversos momentos, a peça foi elaborada para proporcionar sentidos de aventuras ao público. Entre elas, procuramos desenvolver sentimentos de: graça, magia e encantamento, fazendo parte de um único e lúdico universo cênico. Como reconhecimento da sua elaboração foi Finalista ao Prêmio FEMSA Coca Cola indicada como Melhor Trilha Sonora (2008).

Conforme o enredo desse espetáculo de Teatro de Formas Animadas, apontamos algumas questões: os feijões eram verdadeiramente mágicos? O homem (cigano) com quem o menino João trocara a vaquinha da família pelos grãos de feijão não o enganara? O gigantesco pé de feijão no quintal de sua casa deixava alguma dúvida? As folhas tocavam realmente as nuvens do céu, despertando a curiosidade do pequeno João? O que haveria lá em cima? O que as nuvens escondiam? Que mistérios revelariam?

De um jeito ou de outro, confiante e sem medo de enfrentar o desconhecido, João resolve se arriscar em uma aventura, onde irá deparar-se com outras aventuras, entre elas uma gansa encantada que bota ovos de ouro; e também irá encontrar instrumentos musicais que falam, além de um ogro gigante e outras surpresas.

Resultados de uma Aventura

Nesse momento, perguntamos: todos esses ingredientes já não bastam para uma boa aventura infantil, ou estamos falando também de universos e trajetórias míticas (universais)? Enquanto as respostas não vêm, vamos aprendendo que as atitudes do curioso menino João serão proporcionais aos riscos de suas escolhas que irão nortear o seu destino imediato durante a trama.

Dentro das nossas aventuras, ainda vamos encontrar: um Mágico dos Feijões, um Macaquinho vendedor-serelepe, uma Bibliotecária, um Cozinheiro que fala através de provérbios, o crescimento do Pé de Feijão, as nuvens, o Castelo falante, o Ogro, a Gansa e a Harpa.

Tudo isso é feito com bonecos, adereços e formas animadas – grande parte deles criados com material reutilizado ou forjado nesse perfil – que atuam diretamente com o elenco, apoiados sobre esculturas de chapéu e atores (cenografia viva).

Os elementos se misturam ou se fundem em diferentes formas lúdicas, permitindo que se trabalhe o contraste entre o grande e o pequeno (ator versus boneco). “Existe um ator João e um boneco também João. Uma Mãe boneca e uma Mãe atriz. Uma Vaca boneca e uma Vaca ator”, explica o autor e diretor Dario Uzam.

O Valor Cultural de um Espetáculo

Esse espetáculo teve indicação de faixa etária entre 02 e 08 anos de idade, e foi encenado pela Cia. Articularte até o ano de 2017. Depois disso, a peça foi desmontada, ficando como acervo latente e à disposição do grupo somente para realização de projetos teatrais ou escolares  (Sescs e/ou Sesis) através de circuítos ou temporadas.

Sempre que se desmonta um espetáculo, existem diversos sentimentos que vêm à tona, entre saudade, histórias que agregou em suas andanças, bem como o valor cultural que deixou de ser apresentado ao público de crianças e familiares. Mas como o mundo dá voltas, é preciso que tudo continue girando e evoluindo também para novos momentos.

Confira algumas matérias de imprensa desse espetáculo em arquivo PDF: aqui 2.5MB.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.