Menino Diferente

Menino Diferente

Montagem inédita produzida durante o atual isolamento, inspirada livremente no conto literário A Terra dos Meninos Pelados de Graciliano Ramos. Conta a história de Raimundo, que é alvo das chacotas dos colegas por ser calvo e também ter um olho azul e outro, preto. Conformado a princípio com a situação, acaba resolvendo ir para a terra fictícia de Tatipirun, onde “todos os caminhos são certos” e se aplainam para ele passar. Em Tatipirun, embora diferentes entre si, os meninos são todos calvos, têm um olho preto, outro azul. As cigarras tocam suas músicas em grandes discos e as laranjeiras se movem para oferecer suas laranjas aos passantes. Raimundo vive aventuras e bons momentos em Tatipirun, dentro de um mundo criativo e surpreendente, criado pela sua própria e fértil imaginação.

A obra ganha interesse também porque o personagem principal Raimundo acaba se incluindo socialmente em sua comunidade por suas próprias atitudes, opções, escolhas e discernimento, anunciando uma auto-inclusão ou mudança de ótica realizada por um menino que se via diferente de outras crianças, mas que se provoca uma aventura interna e adquire ou conquista mudanças em seus comportamentos, para se suplantar diante do seu grupo de convívio.Trata-se de uma trama aventureira iluminada através do Teatro de Sombras com Bonecos e recortes. Diversos bonecos de recortes e acetato foram imaginados, elaborados e construídos para dar vida a essa obra literária do famoso escritor Graciliano Ramos.

A aventura descreve diversos momentos da pequena jornada do personagem Raimundo, desde o primeiro contato com sua comunidade, até envolver-se em uma busca sobre uma princesa na terra de Tatipirum, imaginada por ele. Nessa terra, ele vai se aceito e ouvido, com ideias que ajudarão a enfrentar um personagem chamado Espinheiro Bravo, para que um grupo de crianças consiga resgatar a sua princesa chamada Caralâmpia (foto acima: Princesa e Raimundo).

Texto, Direção e Voz: Dario Uzam. Bonecos e animação: Surley Valerio e Thaís Uzan. Iluminação: Eric Valerio. Produção inédita da Cia. Articularte – 2020. Duração: 20 min. 


Nascendo Estrelas

Espetáculo Inédito de Sombras de Mãos agregado a recortes, livremente inspirado no conto Como Nasceram as Estrelas, de Clarice Lispector, publicado em 1987. Extraído do livro 12 lendas brasileiras, essa história narra a saga de índias espertas que tiveram que tomar uma atitude curiosa para resolver a fome crescente de toda a sua tribo.

Embora nascidos da literatura popular, nessas 12 lendas, a autora emprega uma forma diversa e neles imprime sua marca, ao assumir um “eu” que não se contenta em ser apenas contador de histórias, mas faz-se também de comentarista e articulador de ideias. De uma forma ou de outra, as relações de comunicação, próprias da oralidade, encontram-se firmes nas narrativas de Clarice Lispector. Com uma linguagem toda especial, a autora dialoga com o o público infantil de igual para igual, voltando a ser uma criança cheia de sonhos, mas também de molecagens e manhas, deixando claro que criança que não apronta não vive bem a infância. Como uma das maiores escritoras brasileiras, Clarice Lispector consegue com sua técnica e genialidade dar um tom misterioso e de ampla curiosidade a essa trama dirigida ao público infantil e familiares.

Quanto ao formato teatral, a Cia. Articularte inova na composição dessa peça que agrega Sombras de Mãos com Recortes para elaborar um espetáculo que contém peripécias indígenas, contando uma lenda memorável de como nasceram as estrelas – que antes não existiam porque ainda não tinham nascido. Durante a aventura indígena, o foco ganha uma invertida e recai sobre as índias que terão que resolver problemas tidos antigamente como masculinos. A evolução das imagens da montagem ganha aspectos crescentes e dinâmicos que são próprios dessa técnica de Teatro de Sombras que pode ser tão expressiva quanto for a imaginação do seu público – que via de regra assiste e também tem a rica opção de complementar as ações e sentimentos com o seu próprio imaginário.

Texto, Direção e Voz: Dario Uzam. Bonecos e animação: Surley Valerio e Thaís Uzan. Iluminação: Eric Valerio. Produção inédita da Cia. Articularte – 2020. Duração: 15 min.

 

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.